Programa CiberEducação Brasil: capacitação de instrutores e alunos em segurança cibernética começa em todo o país

No dia 16 de julho, a Cisco Brasil lançou oficialmente, o Programa CiberEducação Cisco Brasil, que combina esforços da iniciativa de aceleração digital Brasil Digital e Inclusivo (BDI) e do programa global de responsabilidade social Cisco Networking Academy.

O lançamento, com a participação do presidente da Cisco Brasil, Laércio Albuquerque, e do diretor de operações de CiberSegurança, Ghassan Dreibi Junior. Ademais, contou também com Rebeca de La Vega, gerente regional do Networking Academy na América Latina, e Gabriel Bello Barros, Líder do Networking Academy Brasil. Eles falaram sobre os objetivos do programa, que tem como público: estudantes cursando o último ano do Ensino Médio. O ensino superior, cursos técnicos bem como alunos graduados.

programa cibereducação brasil

Dentre os objetivos do programa, o principal é aliar a capacitação em segurança à criação de oportunidades para os brasileiros. Isso porque segundo um estudo realizado pela Gartner para a Cisco, a América Latina deverá ter cerca de 770 mil postos de trabalho em tecnologia nos próximos anos. Com a digitalização cada vez mais acelerada no país, impulsionada por programas como o Brasil Digital , além disso, o Inclusivo da Cisco, a lacuna entre demanda do setor tecnológico e oferta de profissionais capacitados pode se tornar ainda maior. Por isso, a Cisco se propõe, através do programa CiberEducação Brasil, a ser uma ponte entre um futuro mais digital. E portanto, com desenvolvimento profissional para todos.

Objetivo do programa

O objetivo do programa é desenvolver uma nova geração de profissionais em segurança cibernética. Isto é, transformando vidas através de oportunidades de aprendizado e deixando um legad o educacional para o país ao longo do caminho. A segurança cibernética é um dos pilares de uma digitalização bem-sucedida, portanto o
programa visa criar um ecossistema consistente para que talentos em segurança da informação possam se desenvolver e atender à demanda crescente de profissionais na área, tanto no setor público quanto no privado.

Em busca de metas tão significativas para o país, o programa conta com parceiros estratégicos, dentre eles o
SENAI Nacional, o Centro Paula Souza, a Escola de Comunicações do Exército Brasileiro e o SENAC de Minas Gerais. Além destes, há os parceiros da maratona de aprendizagem Learn-A-Thon 2020 (Academias Cisco Networking Academy e instrutores responsáveis por captar alunos), os parceiros educacionais e parceiros empregadores.

As duas ondas do programa CiberEducação

O programa CiberEducação Cisco Brasil se dá em duas ondas: a primeira, com turmas em agosto de 2020, e a segunda em fevereiro de 2021, culminando em oportunidades de estágios e empregos para os melhores alunos selecionados. As duas ondas, por sua vez, se dividem em 4 fases, tendo a primeira iniciado logo após o lançamento, com uma maratona de aprendizagem, o Learn-A-Thon Brasil 2020, aberto ao público através das academias Cisco Networking Academy, quando o programa contou com o apoio mais de 80 academias Cisco de 20 Estados brasileiros.

Durante um mês, cada aluno teve a oportunidade de realizar dois cursos gratuitos de forma online: Introdução e Fundamentos em Cibersegurança. A fase contou com mais de 40 mil inscrições. Destas, os 1.200 melhores alunos foram selecionados para a próxima etapa do programa. Na segunda fase, serão ofertadas bolsas para a capacitação gratuita de instrutores das academias Cisco Networking Academy em dois novos cursos (que em breve também serão ofertados em português): “CyberOps Associate” e “Network Security”.

Fases do programa CiberEducação Brasil

Ao final da fase, os instrutores poderão atuar como multiplicadores de conteúdo Networking Academy nas suas instituições. Isto é, criando uma rede sustentável de educadores em Segurança Cibernética. A terceira fase é de profissionalização dos alunos: 1.200 estudantes que passaram pelo processo de seleção da primeira fase vão se capacitar no curso CCNA 1, que tem foco em redes, com objetivo de nivelar conhecimentos, e no “CyberOps Associate”, que prepara para a carreira de analista de segurança cibernética, ou ”Network Security”, para carreiras especializadas em segurança.

Esta fase incluirá formações complementares em conjunto com parceiros educacionais do Cisco Networking Academy. Por fim, a quarta fase será de Oportunidade de Estágio e Emprego: os melhores alunos poderão colocar em prática os conhecimentos adquiridos por meio de um programa de estágio ou emprego efetivo, de 6 a 12 meses de duração, em parceiros e clientes Cisco. Os alunos também serão incentivados a obter a certificação da indústria, com a oferta de vouchers de desconto para as respectivas provas. A Cisco promove, assim, o encontro dos melhores alunos com os melhores locais para trabalharem no país, contribuindo para um Brasil mais digital, inclusivo e seguro.

Aula Inaugural Programa CiberEducação Cisco Brasil

O programa iniciou a fase de capacitações no dia 21 de setembro. Com aula inaugural online, na qual as academias e instrutores vencedores da Learn-A-Thonque farão os cursos CCNA módulo 1 e CyberOps Associate foram divulgados. Gabriel Bello Barros, Líder Cisco Networking Academy Brasil, apresentou os objetivos do programa, ressaltando o papel dos instrutores. Mas também a importância dos parceiros do programa, e convidou todos a participarem e curtirem a comunidade do programa no Facebook. Onde serão postadas todas as novidades e mais oportunidades de estudo.

Em seguida, Rodrigo Uchoa, Diretor de Digitalização e Novos Negócios Cisco do Brasil, falou sobre a cibersegurança como um dos principais pilares da digitalização no país. E desse modo, destacou a importância de haver profissionais que deem suporte à digitalização e garantam a segurança dos dados, das aplicações e das pessoas. Caroline Seibert e Lohanny Edmond, Gerentes do Programa Cisco Networking Academy Brasil, explicaram como ocorreu o processo seletivo dos 1.270 alunos. Como estão distribuídos, e anunciaram as academias e instrutores premiados.

Premiações

Foram premiadas com placas de reconhecimento e vouchers para estudantes e instrutores as academias com maior número de alunos que finalizaram a maratona. Ficando em terceiro lugar o Exército, em segundo o SENAI SP e em primeiro lugar a UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Os instrutores premiados com vouchers e certificados foram o tenente Ricardo Rebelo Silva Melo, da academia do Exército. Em terceiro lugar, Túlio Saji do SENAI SP. Em segundo, e em primeiro o instrutor Eden Ricardo Dosciatti da UTFPR de Pato Branco.

Ghassan Dreibi Junior, Diretor de Operações de Cibersegurança da Cisco na América Latina lembrou que a Cisco ajudou a construir a internet. Além disso, ajudou a conectar todas as coisas, e agora quer conectar tudo com mais segurança. Ele também lembrou aos alunos que a carreira em segurança é uma grande oportunidade, mas também uma grande responsabilidade.

Além disso, ainda falando sobre carreira, Letícia Gammill, Líder dos Canais de Segurança para América
Latina e Canadá e idealizadora e criadora da WOMCY (organização sem fins lucrativos, composta por mulheres. E com foco no desenvolvimento de cibersegurança), falou de sua trajetória profissional, não linear, mostrando como a cibersegurança está presente em quase tudo. Assim como as oportunidades que levam a essa área. Ela trouxe alguns dados e informações, deu conselhos, dicas e desmistificou algumas noções sobre a carreira em cibersegurança.

SENAI na digitalização da indústria brasileira

Felipe Morgado, Gerente Executivo de Educação Profissional e Tecnologia do SENAI Nacional, falou de como o SENAI tem atuado para ajudar na digitalização da indústria brasileira. Esforçando-se para que a segurança cibernética, fator crítico de sucesso para a indústria, seja incorporada no dia a dia dessas empresas. Edilson Caldas, Analista de Desenvolvimento Industrial, SENAI Nacional destacou o papel heroico dos futuros profissionais. Ou seja, de defender e proteger nosso dia a dia por meio da cibersegurança. Além disso, mostrou como será a jornada educacional da segunda etapa, apresentando também o time de professores.

O tenente Ricardo Rebelo falou de como a academia do Exército se dedica à preparação dos jovens. Isto é, para o mercado de trabalho através dos cursos Cisco Networking Academy. A aula inaugural terminou com uma sessão de perguntas respostas. Desse modo, tirou dúvidas dos participantes, e explicou como será a jornada de cada aluno nessa fase que está
começando.

Para mais informações sobre o programa CiberEducação Cisco Brasil acesse: https://www.cisco.com/c/m/pt_br/brasil-digital-e-inclusivo/cibereducacao.html

Para notícias sobre o Brasil, acesse: https://americas.thecisconetwork.com/site/index/lang/pt/.

Siga a Cisco no Twitter em @CiscoDoBrasil


Matéria extraida do site Blog Cisco Brasil
“Programa CiberEducação Brasil: capacitação de instrutores e alunos em segurança cibernética começa em todo o país”
Data da publicação: 05/10/2020