Entenda melhor o método Dual Stack para transição do IPv4 – IPv6

dual-stack

O IPv6 é o mais recente protocolo padrão usado para comunicação entre computadores na internet. No entanto, não foi projetado para ser uma extensão ou complemento do antigo protocolo, o IPv4. É aí que entra o Dual Stack.

Afinal, o IPv6 é um substituto, sendo necessário existir um projeto de transição entre as duas versões do Internet Protocol. Uma alternativa de transição para IPv6 é o CGNAT, mas ele não funciona de maneira completa. Já a Pilha Dupla, sim.

Então, o que é Dual Stack? Confira isso agora e veja como funciona a transição do IPv4 para IPv6!

roteador-dual-stack

O que é Dual Stack?

“O uso do Dual Stack para IPv6 é interessante para quem possui um protocolo puramente IPv4: num único equipamento, os dois protocolos coexistem.”

Basicamente, Dual Stack é o que permite a convivência entre IPv4 e IPv6 em um mesmo equipamento, de maneira nativa e simultânea. Essa tecnologia permite que dispositivos e roteadores sejam equipados com pilhas (stacks) para os dois protocolos.

Dessa forma, eles são capazes de enviar e receber os dois tipos de pacotes de dados. Na prática, um nó de conexão de Pilha Dupla se comportará como IPv6 se comunicar-se com outro IPv6 – e funcionará da mesma forma como IPv4.

Um pouco de história do Internet Protocol (IP)

Por cerca de 30 anos, o protocolo IPv4 foi o padrão de comunicação na internet, seja em empresas ou domicílio. Dessa forma, é natural que a transição para IPv6 seja um processo longo, onde os dois protocolos precisam coexistir.

Mas manter os dois duplica a infraestrutura de rede. Fazer transição completa e imediata é simplesmente inviável devido ao tamanho da rede mundial. Por isso, foram pensadas algumas formas para fazer isso funcionar:

  • Túneis IPv6 sobre IPv4;
  • Interoperação entre IPv6 e IPv4 através da tradução de pacotes.

Foi nesse cenário que surgiu a Pilha Dupla para IPv6, um método de integração que não utiliza de mecanismos reais de tradução. Além disso, ela pode ser aplicada em sistemas end-to-end ou em nós de rede, permitindo que IPv4 e IPv6 coexistam na mesma máquina.

Como funciona o Dual Stack num dispositivo ou roteador?

Para que o host de um dispositivo ou roteador passem a ser Pilha Dupla para IPv6, é necessário que seja habilitado o IPv6. Outra opção é a atualização do firmware (o conjunto de instruções operacionais programadas diretamente no hardware).

Dessa forma, o IPv6 é incorporado e o host passa a ter Pilha Dupla. Com isso, hosts terminais e aplicações podem efetuar uma migração do IPv4 para o IPv6. Além disso, cada nó de Pilha Dupla se configura com ambos os endereços:

  • Você utiliza de mecanismos IPv4 para adquirir um endereço IPv4;
  • E você utiliza de mecanismos IPv6 para adquirir um endereço IPv6.

Decerto, é importante atentar para o fato de que são necessárias configurações independentes para IPv4 e IPv6 em diversos aspectos de rede: DNS, protocolos de roteamento, Firewalls e gerenciamento de redes.

E como funciona a Pilha Dupla para IPv6 em conexão? Anteriormente, a preferência da aplicação era para o protocolo IPv6 e, se desse errado, depois o IPv4. Atualmente, é possível realizar conexões simultâneas, com a aplicação optando pelo mais rápido.

Uso de modem Dual Stack

De forma a realizar transição do IPv4 para IPv6, é importante contar com um modem Dual Stack. Esse é o caso do ASR 1001-X/1001-HX, o famoso “3 em 1” da Cisco que realiza serviços BGP, CGNAT e PPPoE.

Todos esses serviços acontecem num único aparelho Cisco, que conta com NAT64  e que fornece a transição IPv4 para IPv6. Confira mais sobre aqui!

Quando não é possível utilizar de Dual Stack IPv6?

  • Quando não há mais IPv4 disponível e o provedor precisa atender usuários IPv4 e IPv6. Claro que se for utilizar o NAT, é possível ter o IPv6 nativo em conjunto com IPv4 que se compartilha;
  • Quando o equipamento não suporta Pilha Dupla IPv6 e não pode ser facilmente substituído.

Quais são os benefícios da Pilha Dupla?

Agora que entende plenamente o que é Dual Stack, é hora de compreender seus benefícios:

  • Por meio do Dual Stack, é possível manter o que existe no IPv4, ademais, aproveitar das vantagens do IPv6;
  • O provedor não para a operação se o IPv4 finalmente esgotar – isto é, ele simplesmente continua através do IPv6.

Com isso, se identifica o principal benefício do Dual Stack: fazer uma transição segura de protocolo.

protocolo

Conclusão

Sabe aquela ideia de fazer manutenção sem precisar parar todo o equipamento? Essa é a lógica por trás da Pilha Dupla que, ao ter IPv4 e IPv6 ao mesmo tempo, permite transição gradual – basta desligar uma pilha.

Por isso, conte com um equipamento que possua Dual Stack, de maneira que tranquilamente faça a transição do IPv4 para IPv6!

post-cgnat